PROPÓSITO E CHAMADO – 24/05 Previous item ROMPENDO EM FÉ - 07/06 Next item TRANSFERÊNCIA ESPIRITUAL ...

PROPÓSITO E CHAMADO – 24/05

Texto-chave: Jó 42:2; Rm 8:26 a 30. 1Co 7:20 e 21; Lc. 22:9 e 42-43

Introdução: Cada um de nós tem um propósito, fomos comprados por Cristo para sermos a herança de Deus na terra, fomos chamados para expressar Seu amor, revelar Seus sonhos e para participar de Seu projeto de Restauração, porque Deus deseja que sejamos restituídos ao Seu Reino para andarmos segundo Seus princípios e verdades. Muitos não conseguem entender o que significa ser chamado, nem qual é o propósito de Deus para suas vidas. Entender essas questões nos ajuda a direcionar nossos sonhos e projetos, assim como entender que precisamos colaborar com o Senhor para sermos tratados. Podemos passar a vida inteira na igreja e não cumprirmos nosso propósito, nem exercermos nosso chamado, mesmo que tenhamos o desejo de fazê-lo e que trabalhemos na igreja. Os filhos de Jacó, irmãos de José, pertenciam a Israel, tinham uma promessa sobre suas vidas, estavam inseridos em Seus sonhos, mas só José conseguiu ficar conectado a esses sonhos, cumprindo seu propósito e exercendo seu chamado, porque Deus o treinou no meio das adversidades para receber autoridade, poder e posição de governo. Há algumas diferenças entre propósito e chamado que precisamos entender para que nos deixemos tratar e ser usados pelo Senhor:

1) PROPÓSITO (Gn.1:26; Ef.1:5; Rm 8:29) – Diz respeito àquilo que Deus quer realizar em nossas vidas, pois fomos criados com o propósito de sermos à imagem e a semelhança de Deus, para andarmos com Ele e tributarmos toda honra e louvor. O propósito está ligado ao que Deus sonhou para nós, ao que Jesus conquistou na cruz (libertação, salvação, cura, vida eterna, caminho de volta para o Pai) e ao processo de transformação pessoal que Deus nos leva a passar, usando as situações difíceis e os problemas diários. O propósito de Deus é que vivamos dentro da realidade de Seu Reino, ou seja, em prosperidade, experimentando cura, salvação, alegria, paz e sucesso. Mas para vivermos os propósitos de Deus, temos que ser aperfeiçoados, isso só acontece quando buscamos conhecer Sua Palavra, conhecer a Jesus e permitimos que o Espírito Santo nos oriente e nos aproxime cada vez mais de Cristo, porque os sonhos de Deus nos fortalecem. Há uma chave importante para vivermos o propósito de Deus: intimidade. José era mais amado porque era o mais próximo do pai. É o relacionamento com Deus que nos leva aos céus.

2) CHAMADO (Mt. 28:18 a 20, Mc. 16:15 a 18) – Diz respeito ao que Deus quer realizar através de nossas vidas para alcançar outras pessoas. O chamado está ligado à pregação do Evangelho, por meio do Ministério que o Senhor separou para nós. Precisamos reconhecer as habilidades que possuímos e colocá-las nas mãos de Deus para desenvolver nosso chamado. Quando Jesus comissiona a Igreja a pregar o Evangelho por todo mundo (o IDE), Ele fala de nossa missão como discípulos. Para cumpri-la, nos capacita, nos fortalece e nos dá provisão suficiente para realizarmos aquilo que nos delegou. Há um desatar de coisas espirituais em favor do Chamado. Em poucas palavras, podemos dizer que o chamado de José envolvia poupar sua família da morte e da escravidão. Deus usou suas habilidades para concluir sua missão. Todos os cristãos são chamados para crer em Jesus, para o batismo, para pregar o Evangelho e levar salvação ao mundo, para fazer discípulos e curar enfermos, mas nem todos assumem essa responsabilidade. Aqueles que se entregam, mesmo que não acreditem que possuam capacidade, recebem provisão de Deus e capacitação espiritual (Lc 12:2). Assim:

a) O Espírito Santo trabalha através de nós, usando nossas habilidades naturais (Jo 14:26). Se temos habilidade para cantar, dançar, ensinar ou escrever, por exemplo, Deus pode usar essas áreas para que venhamos a tocar pessoas e levá-las a conhecer Jesus. Em nossa igreja temos muitos ministérios de evangelismo que usam essas habilidades como o Art Cristo, o Gileade, o Ministério de Louvor, os doutores na Fé, Estradeiros, Dependentes de Deus, Profetas nas Ruas, enfim, há uma infinidade de formas de exercer um ministério;

b) O Espírito Santo libera dons espirituais (1 Co.12: 7 a 11). Quando assumimos o chamado ministerial, não o fazemos por conta própria, mas preparados pelo Espírito Santo que libera dons como o de línguas, de interpretação de línguas, de profecias, de palavra de sabedoria, palavra de conhecimento e discernimento de espíritos, dom da fé, de operação de milagres, dons de curar. Todos os dons devem ser usados para a edificação do Corpo de Cristo.

c) Jesus definiu o ministério quíntuplo com um propósito: unidade entre chamado e Igreja (Ef.4:11). Não há como exercer um chamado sem que haja ligação com os ministérios delegados na Igreja. Não há autoridade que não proceda de Deus e tudo que o Senhor faz obedece à Lei da Autoridade Espiritual, sendo Cristo O Cabeça da Igreja. Não há como exercer um ministério independente, sem submissão aos apóstolos e pastores. Cada ministério está ligado ao outro, embora algumas pessoas tenham sido chamadas para pastores, outras para apóstolos, outras para serem profetas, outras evangelistas e outras, mestres. Todos os chamados derivam destes ministérios.

CONCLUSÃO: Quando entendemos nosso Propósito e nosso chamado, nos posicionamos no lugar certo e da forma certa, assim as bênçãos vêm e Deus se manifesta através de nós. Tanto o propósito, quanto o chamado estão ligados à submissão a Deus, à decisão de nos colocarmos em Suas mãos, sobre Seu altar. Quando Salomão santificou o Templo, pôs-se sobre o Altar e intercedeu pelo povo, oferecendo a si mesmo como sacrifício de Louvor e Exaltação (2 Cr.6:13), ele entendeu seu propósito e estava cumprindo o seu chamado. Chamado e Propósito dependem do processo de transformação que Deus nos leva a passar, Ele quer que sejamos pessoas chaves, por isso nos leva a enfrentar dificuldades e problemas, a fim de nos moldar e nos fazer ser exatamente a pessoa com quem Ele sonhou e gerou. Precisamos desejar estar nas mãos certas para que sejamos chaves com segredos dos céus, adornadas pelas mãos de Deus. Os segredos contidos em nós poderão abrir as portas do impossível. Precisamos crer que Deus está no controle de todas as situações, independente de seu grau de dificuldade e conosco, em todo tempo, como esteve com Jó, com Davi, com Paulo, com todos os profetas e discípulos que foram vencedores, pois cumpriram seu propósito e chamado. Mesmo que não tivessem alcançado todos os sonhos, eles plantaram sementes poderosas para que outros pudessem colher. As sementes plantadas por Paulo, Pedro ou João, por exemplo, até hoje estão germinando em nós e pelas igrejas. Nós colhemos os frutos de sementes plantadas por vários heróis da fé.

Orientação aos líderes: ao terminar a palavra, incentive os participantes a falarem sobre seus planos, projetos e propósitos, a fim de que relacionem com seu chamado. Depois, faça duas orações, na primeira, leve todos a pedirem para que Deus leve cada um a entender e liberar Seus propósitos sobre suas vidas, abrindo mão das vontades e razões humanas. Na segunda oração, faça o apelo. Lembre-se de convidá-los para os cultos na igreja (quarta e domingo) e da escola de discípulos. Continuem desafiando os participantes a convidarem pessoas que precisam de oração, de milagres, de cura, de libertação para participarem da próxima reunião.